Você está aqui: Página Inicial > O IFMG > Histórico

Histórico

por Comunicação Betim publicado 10/06/2016 15h53, última modificação 10/06/2016 15h55

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais (IFMG) é composto por doze câmpus: Bambuí, Betim, Congonhas, Formiga, Governador Valadares, Ibirité (em implantação), Ouro Branco, Ouro Preto, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia e São João Evangelista. Há também os câmpus avançados de Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Ipatinga (em implantação), Piumhi e Ponte Nova (em implantação), além da unidade conveniada de Arcos. 

A instituição mantém pólos de Ensino a Distância nos municípios de Betim, Belo Horizonte, Cachoeira do Campo, Jeceaba, Piumhi e São Gonçalo do Sapucaí bem como tem parceria para oferta do projeto especial do Proeja FIC nos municípios de Carandaí, Congonhas, Sabará, Iguatama, Perdões, Pompéu e Santa Bárbara.

O IFMG é uma autarquia formada pela incorporação da Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista, dos Cefets de Ouro Preto e Bambuí e das UNEDs de Formiga e Congonhas. Os demais campi foram criados recentemente.

A nova instituição está entre as 38 criadas no país pela Lei nº 11.892, sancionada em 29 de dezembro de 2008 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Instalados em regiões estratégicas do estado, os campi do IFMG estão vinculados a uma reitoria, que tem sede em Belo Horizonte.

São disponibilizados mais de 60 cursos, divididos entre as modalidades de Formação Inicial e Continuada, Ensino Técnico (integrado ao Ensino Médio, Concomitante, Subsequente e Educação de Jovens e Adultos), Ensino Superior (Bacharelado, Licenciatura e Tecnologia) e Pós-Graduação Lato Sensu. São promovidas também parcerias entre o IFMG e outras instituições de Ensino Superior para a realização de programas de Mestrado e Doutorado Interinstitucional (Minter e Dinter).

Hoje, o IFMG possui aproximadamente oito mil alunos matriculados nas unidades distribuídas em Minas Gerais (fonte: Simec).

Com a criação dos 38 Institutos Federais no país, a previsão é que seja destinada metade das vagas para os cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, para dar ao jovem uma possibilidade de formação já nessa etapa de ensino. Na educação superior, há destaque para os cursos de engenharia e bacharelados tecnológicos (30% das vagas). Outros 20% estão reservados para licenciaturas em ciências da natureza.

Além do IFMG, outros quatro Institutos Federais e um Cefet compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no estado.