Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Campus São João Evangelista participa de ações ambientais através de Núcleo de Proteção Ambiental
conteúdo

Acontece nos Campi

Campus São João Evangelista participa de ações ambientais através de Núcleo de Proteção Ambiental

Animais resgatados pela polícia ambiental são recebidos e reintegrados na mata do campus ou encaminhados para instituições especializadas.
publicado: 28/07/2022 12h46, última modificação: 28/07/2022 17h25

Você sabia que o Campus São João Evangelista é recortado pela Mata Atlântica? E para proteger um dos biomas mais ricos em diversidade de vida no planeta surgiu, em agosto de 2021, o Núcleo de Proteção Ambiental (NPA). O Núcleo tem como objetivo monitorar a mata ao redor do Campus, por meio de visitas periódicas com apoio da Polícia Militar do Meio Ambiente (PMMA).

A mobilização da comunidade acadêmica e da população local com estratégias para planos de ação ambiental também faz parte das ações do NPA. “Conseguimos dez placas que foram distribuídas em pontos estratégicos de acesso aos fragmentos da Mata Atlântica do campus, alertando sobre as consequências legais da caça predatória e orientando sobre denúncias anônimas”, exemplifica um dos autores da iniciativa, o professor Marcelo Filardi, do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

Reabilitação de animais

O NPA recebe, ainda, animais apreendidos pela Polícia Militar do Meio Ambiente. Após a apreensão, eles passam por uma avaliação biológica e veterinária, recebem um laudo técnico e, posteriormente, são reintegrados na mata do Campus ou encaminhados para instituições especializadas. Em junho, por exemplo, o núcleo recebeu um gavião campestre de grande porte, a águia-cinzenta (Urubitinga coronata), que  permaneceu sob cuidados de um biólogo e de um veterinário do campus por dois dias. A ave, que está na lista de espécies ameaçadas de extinção do Ibama, foi encaminhada ao zoológico da Usipa, em Ipatinga, onde se dará o trabalho de reabilitação. "Temos a perspectiva de que seja reintroduzida ao habitat natural em breve”, afirmou o veterinário do núcleo, Charles Bispo.

Mais de 100 animais da fauna silvestre já foram reabilitados, entre eles diversos pássaros, um cágado, uma raposinha, um cachorrinho-do-mato, uma coruja e quatro cobras.

Leia mais:
Museu de Zoologia no Campus São João Evangelista é opção de passeio gratuito